Estação biológica de Canudos

     Reserva dedicada à conservação da arara-azul-de-lear.Fica na região de Canudos, no sertão baiano. Arara-azul-de-lear, ave endêmica da Caatinga baiana.Primeira espécie protegida pela Biodiversitas por meio de uma Reserva.

A Estação Ecológica de Canudos foi criada no início da década de 1990 dada a urgente necessidade de proteção da arara-azul-de-lear e de seu habitat. Nesta época, a população conhecida da espécie era de 50 indivíduos. É neste local, portanto, que a Fundação Biodiversitas desenvolve o “Programa para Conservação da Arara-azul-de-lear” e mantem resguardado uns dos principais refúgios da arara-azul-de-lear na Caatinga baiana.

A partir daí, a Biodiversitas e inúmeros colaboradores foram incansáveis na proteção da espécie e hoje existem 1.800 araras livres na natureza. Formou uma equipe de campo, composta por pessoas naturais da região, proporcionando-lhes capacitação, emprego formal e renda, que atua na vigilância permanente dos ambientes vitais das araras, os quais se estendem para áreas além da Estação Biológica de Canudos.

O trabalho dessa equipe vai além do monitoramento das araras. Inclui a conscientização das comunidades que vivem nas rotas de movimentação das araras, mostrando-lhes o valor da espécie para a conservação da Caatinga. Isso porque as araras, na medida em que se alimentam de plantas da região, funcionam como dispersores de sementes durante suas migrações diárias em busca de alimento.

A Estação Biológica de Canudos funciona como um centro de Educação Ambiental para professores e alunos da região, ou também como uma sala de aula viva. Por meio da observação das araras, a comunidade escolar pode conhecer as plantas da Caatinga e, por exemplo, seu papel na oferta de água para o semi-árido brasileiro, e também a história geológica da região representada nos paredões rochosos da reserva.

A Estação Biológica de Canudos é aberta aos pesquisadores de todo o Brasil. Graduandos, mestrandos e doutorandos tem ali a oportunidade de desenvolver estudos aplicados à conservação da biodiversidade brasileira.

O desenvolvimento do turismo de observadores de aves na Estação, vem contribuindo para o fortalecimento do comércio local e também tem estimulado moradores da região a criarem negócios próprios para a condução de turistas interessados nas araras. Assim, na medida em que surgem essas oportunidades, o tráfico da espécie – principal ameaça à sua conservação, torna-se menos vantajoso.

Hoje o Programa para Conservação da Arara-azul-de-lear é mundialmente reconhecido como um caso de sucesso sobre como os investimentos em biodiversidade podem gerar resultados concretos para a conservação ambiental, a educação e o bem-estar social.